You are a Peacekeeper – Portuguese

És soldado de paz

A. Walter Dorn

[translation of “You are a Peacekeeper” into Portuguese
by translators at the Armies of the Americas conference, Toronto, 2004
]

És soldado de paz.
És o que mantém ordem quando tem anarquia.
És o simbolo da estabilidade de amanhã, a esperança para novo pêsego, uma garanttia para um respiro a um povo vitima de conflitos.
És a prova que a humanidade ainda se preocupa da humanidade.

Por todo lado hà prova da natureza inhumana do homem:
Janelas partidas e paredes marcadas de balas;
Montes de escombros onde so uma criança pode achar graça a brincar.

Só estares aì observando ao bom momento, faz uma diferênca.
Por vossa presença és capaz de prevenir um golpo entre dois países.
És o que separa dois grupos que se atirão pedras e insultos.
E sem vossa presença seriam balas e fogo de canhão que se atirariam.
Durante que o mundo te emporam e critão injurias, ao fundo dos sus corações te agredeção do fundo do coração.
Aguentas uma avalancha de humanidade encuando que você  està de guarda à borda do precipiso.

És o homem ou mulher no meio.
És o que ocupa o terreno tanto enviado por os doir lados.
Te agredeção da vossa presençasò porque és o que aguenta o inimigo de tomar-la […].

És soldado (ou civil) sem outro inimigo que a guerra mesmo.
O vossa integridade é vossa melhor arma, e não o vosso fuzil mesmo se o necessitas talvez.
O vosso exemplo de coragem  é vossa melhor estratégia para frentar a injustiça.

És a lei num país onde à pouco respeito à lei.
Por vezes tens de impor a linha e dizer ”até aqui e não mais”.
Por vossa presença prometes de não fugir tão fàcilmente.
Por vossa presença prometes de não ceder tão fàcilmente.
Mesmo quando defiado repetivamente e sob fogo,
Tens de ser firmo para guardar a dignidade e salvar a missão.
Repeles um ataque, minimisando as domagens para cumplir teu gol e
Mostras uma lição: Não podem de tomar à ligeira.

És um soldado da paz
Tens conhecido louvor e aclamação
Certos commandantes e compatriotas de vosso país tem sido aclamado famas nacionais.
E à os que a desonorarão,
Mas o que é que o mais duro para vossa consciência
O sentimento que todas vossas esforços foram insuficientesSua consciência grita por uma solução para o conflito miserável,
O fim da insanidade, e um regresso à normalidade
Neste você não está sozinho.
Você é o militar de paz entre muitos outros.

Você está bem treinado, bem educados, e bem equipado, mas nunca suficientemente preparado, para a paz é uma tarefa ou onerosas e uma [never ending].
Ainda assim você faz o seu melhor.
Você é a esperança de um futuro de paz, a personificação do sonho da próxima geração.
Você é um cidadão do mundo, assim como um cidadão do seu povo.
Você é um militar e um mundo guardião.
Um agente da paz e uma força de paz.
Você é o militar.

 

És um soldado de paz. Que fazes?

 

És um soldado de paz.  E que fazes?
És o que patrolha a linha durante o silêncio entre batalhas.
És a sentinela que protege o terreno mesmo onde seu pedecessente caíu
És o marinheiro que tenta capturar os smuggleres e armas que norecem os dentes da guerra com armas de morto e destrução.
És o piloto que tràs a vida a um povo, trazendo ajuda humanitària encuando que tentas manobrar teu avião  para não seres tocado pelo fogo de armas durante vossa atterisagem

És o mediator que mostra que hà sempre solução a um conflito sem fim.
És o oficial que pode falar com os beligerentes e ganhar seus respeitos.
És o enforçador que vai mostrar que a impunidade tem limites.
És o franco atirador que na vossa camoflagem tenta de eliminar o outro tirador.
És o paramédico que administra cuidado a o morrente na sua maca
És o padre que Deus pode ser honorado em terras longissimas
Sem intolerância qualquer religiosas e com entendimento

És o estrangeiro docil que vai trazer uma criança inocente à sua familia
És o ser humano que vai estar aí para o refugiado que tem pena

És um soldado de paz
Que fazes?
Fazes a tua rota de recce através da selva densa da Africa central.
És o que passa dentro de tuneis em América Central para descobrir caches de armas.
És o que patrulha o no-man’s land através da linha verde em Chipre.
És que ria a um resedente em Haiti.
És o que chora com um sobrevivente na Ruanda.